Pular para o conteúdo principal

FEIRA DO LIVRO EM SÃO BORJA E PALESTRA AOS AGENTES DE BIBLIOTECA

http://kbimages.blogspot.com/url-cod
Vou transcrever o texto postado no blog: http//felivroinforma.blogpot.com. O texto é de
Ludmila Constant e Nathalya de Oliveira e a foto de Nathalya de Oliveira. Aproveito para agradecer o apoio que o blog deu à minha participação na oficina com a palestra e na feira do livro de São Borja, muma cidade cativante, na qual falarei em um próximo post.

Gilson Correa foi premiado em primeiro lugar com duas cronicas que fizeram parte do livro "Outras Águas".
O autor relata que "Escrever mim é como respirar", sua visão sob a biblioteconomia está avançando com os adventos da internet, disseminando a informação, segundo o autor a biblioteca é mais que um depósito de livros, é onde pode ser encontrado todo e qualquer tipo de informação.
"Estar em São Borja e ter trocado informações com bibliotecários da cidade é uma alegria para mim" relata Gilson.
O livro trata do preconceito ético e social, todas as pessoas tem preconceito, o personagem tem um pé no presente e um pé no futuro e vai se transformando conforme as atitudes tomadas, isso se desenvolveu a partir de sua convivência com a mãe, e vai se transformando conforme as atitudes tomadas. Ele queria muito olhar o eclipse e na noite em que foi olhar seu pai desapareceu.
Ao perguntar a sua mãe sobre a ausência do pai (que havia fugido por motivos politicos na época da ditadura) ela esconde do menino os motivos.

*Essa é apenas uma ideia do contexto do livro!

Mais informações sobre Gilson Corrêa em:
Email: gcgilson4@gmail.com
Blog: letras-livres.blogspot.com
Site: sites.google.com/site/dasletrasnovas
www.recantodasletras.com.br
Twitter: @gilsoncorrea

Postado: Ludmila Constant e Nathalya de Oliveira
Postado por Feira do Livro às 07:43 0 comentários
Palestra de Gilson Correa capacita agentes bibliotecários!

Oficina para agentes Bibliotecários com, Gilson Correa. Foto: Nathalya de Oliveira.

Bibliotecário e escritor formou-se em letras na Univeridade de Rio Grande, onde também lecionou durante alguns anos de sua vida. Atualmente Gilson é escritor, em sua palestra na 25º Feira do Livro ele relata as várias faces de sua profissão, desde os primeiros sistemas (SAB) até os sistemas mais atualizados que podem ser encontrados no site www.sab.furg.br.
Suportes da informaçãpo ao decorrer do tempo:
- Tablete de argila: criados pelos suméricos em 3200 A.C
- Papiro vegetal usado pela primeirta vez em 4000 A.C se tornou a maior exportação do Egito, que originou o nome papel.
Tudo se transformou em linguagem, lugar onde se armazena informação. Em exemplo de hoje é o computador.
-Pergaminho feito pelo couro de carneiro encontrado na região do Pérgamo, atual Turquia, ele resultou em um aprimoramento do papel.
- Códice são da Idade Média, podemos dizer que é um antepassado do livro, por sua semelhança no formato. O método utilizado para montar o códice era atravéz do recorte e costura das folhas.
- Papel é criação dos Chineses, mas que predominava na Europa, era fabricado com fibras de algodão, fibras e cãnhamo.
- Livro é um meio democrático de veicular a informação. O primeiro livro impresso foi a Biblia em Latin inventado por Gutenberg, e Lutero lutou para que fosse impresso em Alemão apartir disso o livro começou a ser um meio democrático, uma maneira de fornecer a população um acesso a informação.
Atualmente existem livros em todas as áreas, com durabilidade de aproximadamente 100 anos, e jamais será deixado de lado mesmo com o avanço das tecnologias. As editoras citam que houve um aumento de 60% dos impressos, o que prova que a tecnologia não acabará com os livros.
- Livros digitais, e-books ou livrtos eletrônicos (com o mesmo conteudo da versão impressa) incluindo capa e contra capa, só que com um suporte digital serve para resgatar artigos, revistas e livros na integra. Além de compartilhar em alguns aparelhos com a internet podendo ler e também interagir.
A palestra teve o objetivo de discutir estratégias para intensificar as ações de insentivo a leitura.
Postar um comentário

PULICAÇÕES MAIS VISITADAS

TRABALHO VOLUNTÁRIO NO HOSPITAL PSIQUIÁTRICO : UMA PROVOCAÇÃO PARA A VIDA

 TRABALHO VOLUNTÁRIO NO HOSPITAL PSIQUIÁTRICO : UMA PROVOCAÇÃO PARA A VIDA
Participávamos de um grupo de jovens religiosos, no final da década de 70. Era um grupo incomum, porque embora ligado à igreja católica, recebia participantes que não possuíam religião definida, sendo um deles, inclusive espírita.  Formava um caldo interessante, porque as discussões, ainda que às vezes, estéreis, produzia muitos encaminhamentos para discussão. Era  realmente um agrupo eclético, e por assim dizer, quase ecumênico. A linha que nos norteava era a solidariedade com o próximo. Queríamos inconscientemente modificar o mundo, pelo menos minorar o sofrimento dos que estavam a nossa volta. Diversos temas vinham à pauta, tais como moradores de vilas paupérrimas, desempregados, idosos do asilo, crianças sem acesso a brinquedos ou lazer. Era uma pauta bem extensa, mas houve um tema que foi sugerido por mim. Tratava-se de se fazer algum tipo de trabalho com os pacientes do hospital psiquiátrico. Houve de imed…

METÁFORAS CRUÉIS : desqualificação das mulheres e negros

Certa vez, em uma disciplina de um curso de pós-graduação em linguística, avaliamos uma série de adjetivos ou substantivos adjetivados que soam lisonjeiros para os homens e ao contrário, para as mulheres produziam conotação pejorativa, pois a própria palavra utilizada possui juízo de valor, tanto para um lado quanto para o outro. Estas distorções linguísticas são foco de vários estudos de cursos de pós-graduação e muito bem explanadas em vários artigos. Sabe-se entretanto, que a língua é apenas um instrumento que é fruto da cultura dos cidadãos de um país.
Estes adjetivos constituem metáforas que desquafilicam o sujeito feminino e qualificam o masculino. Se não, vejamos alguns exemplos, que foram exaustivamente avaliados em vários trabalhos, mas que cabe aqui, identificá-lo en passant. O adjetivo vadia, para a mulher tem a ver com promiscuidade, assim como vagabunda. No caso do homem, o termo vagabundo ou vadio, tem a abordagem do trabalho, mas pode incluir também um significado pos…

O URUGUAI E SEUS CARROS ATRAENTES

http://O URUGUAI E SEUS CARROS ATRAENTES

O Uruguai é um país muito bonito e como integrante da América, cheio de contrastes, sem dúvida. Mas o que me chama a atenção, sempre que visito aquele país, além da hospitalidade e elegância de seu povo, é a a maneira como as autoridades de trânsito permitem que determinados veículos sejam dirigidos nas estradas. Na verdade, a obediência às leis me parece muito bem orientada. É um povo tranquilo, que conduz seus veículos obedecendo as regras. Todavia, o que sempre me deixa intrigado são os inúmeros carros velhos, danificados, em precárias condições para transitar, que ainda vez que outra surgem nas rodovias. Por isso, tirei algumas fotos para ilustrar esta curiosidade. É uma peculiaridade de comportamento, da qual é provável que sirva de tema a muitos blogs, no entanto quero deixar aqui, às vezes a minha perplexidade, por observar estes “automóveis” andando.
Em tempo: estou torcendo pelo Uruguai, nesta copa, assim como muitos brasileiros, ac…